Nota sobre o rompimento de barragens em Brumadinho (MG)

Publicado em: 25/01/19

A Advocacia-Geral da União (AGU) solicitou informações aos órgãos e entidades públicas encarregadas de dimensionar os impactos ambientais e humanos do rompimento de barragens em Brumadinho (MG) para adotar as medidas judiciais cabíveis.

A lista inclui os ministérios do Meio Ambiente, Minas e Energia, Infraestrutura e Economia, além do Ibama, Agência Nacional de Águas e Agência Nacional de Mineração, entre outras.

O advogado-geral da União, André Mendonça, se reuniu com equipe de dirigentes da AGU para monitorar o caso e discutir quais providências poderão ser adotadas. O chefe da Advocacia-Geral também se solidarizou com os afetados pelo rompimento das barragens. "A prioridade absoluta deve ser socorrer e proteger as pessoas que estejam correndo risco, além de controlar os rejeitos. Em seguida, será preciso punir os responsáveis e encontrar formas eficazes de reparar o meio ambiente e as comunidades atingidas", disse Mendonça.