Mutirão da AGU na área trabalhista gera economia de recursos públicos no DF

Publicado em: 15/05/18

Mutirão realizado em abril pela Advocacia-Geral da União (AGU) na área trabalhista gerou uma economia de mais de R$ 5,1 mil reais aos cofres públicos, no Distrito Federal.

A economia foi gerada pela aplicação de um deságio médio de 15% sobre os valores executados contra autarquias e fundações federais, que totalizavam mais de R$ 34 mil. Os acordos foram firmados em todos os processos trabalhistas com comparecimento dos reclamantes.

“A rotina conciliatória começou com ótimos resultados e será incrementada nos próximos meses”, afirmou a procuradora federal Milene Ferreira Cavallari, responsável pelo mutirão.

Segundo ela, esse primeiro mutirão foi organizado em função da grande demanda de audiências nas 22 varas trabalhistas do DF, o que exige o constante deslocamento de advogados públicos.

“O objetivo é a economia aos cofres públicos, aliada à redução de demandas, contribuindo para a racionalização de recursos humanos na atuação contenciosa”, avaliou a procuradora.

O mutirão insere-se no âmbito do Projeto de Conciliação promovido pelo Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Demandas Judiciais do TRT da 10ª Região (CEJUSC/TRT10).

Atuou no mutirão a Procuradoria-Regional Federal da 1ª Região (PRF1), unidade da Procuradoria-Geral Federal (PGF), órgão da AGU.

Marco Antinossi