Advocacia-Geral participa de iniciativa de combate a notícias falsas

Imprimir: Advocacia-Geral participa de iniciativa de combate a notícias falsas Compartilhamento: Advocacia-Geral participa de iniciativa de combate a notícias falsas Advocacia-Geral participa de iniciativa de combate a notícias falsas Advocacia-Geral participa de iniciativa de combate a notícias falsas Advocacia-Geral participa de iniciativa de combate a notícias falsas
Publicado : 12/06/2019 - Atualizado às : 13:13:24

Foto: Luiz Silveira/Agência CNJ
Foto: Luiz Silveira/Agência CNJ

A Advocacia-Geral da União (AGU) é uma das instituições parceiras do Painel Multissetorial de Checagem de Informações e Combate a Notícias Falsas, que tem o objetivo de identificar a circulação de notícias falsas, principalmente no âmbito do Poder Judiciário, e esclarecer a respeito do conteúdo. O lançamento do Painel aconteceu nessa terça-feira (11/06), na sede do Supremo Tribunal Federal (STF).

O Painel é composto por representantes da imprensa brasileira, das associações da magistratura e dos tribunais superiores e tem o objetivo de alertar e conscientizar a população dos perigos do compartilhamento de informações duvidosas.

A secretária-geral de Contencioso da AGU, Izabel Vinchon, garantiu que a instituição está comprometida com a iniciativa. “A AGU, como função essencial à Justiça, compreende o seu papel em colaborar com o Poder Judiciário nesta tarefa que também é pedagógica, contribuindo para que o cidadão saiba a importância do hábito de checar a veracidade da informação recebida, rompendo com o ciclo de circulação desenfreada de notícias falsas no meio social”, pontuou. “A informação falsa repercute sobre a fruição de vários direitos, tolhendo o cidadão em sua liberdade, na medida em que firma opiniões e toma decisões com base em dados que não correspondem à realidade”, conclui.

Funcionamento

Ao ser identificada uma possível notícia ou postagem falsa, os participantes devem repassar o conteúdo às agências, integradas por jornalistas parceiros, checarem a veracidade das informações.  Os jornalistas fazem a avaliação do material a partir de dados oficiais e de todas as informações pertinentes e divulgam em seus meios de comunicação.  “Esse é um dos itens de governança pública e de garantia da estabilidade do Estado Democrático de Direito: uma imprensa ativa, bem informada e capaz de levar informação à sociedade é o que vai gerar o controle social tão relevante para a democracia brasileira”, avaliou o advogado-geral da União, André Mendonça. “A sociedade tem direito à livre informação, mas ela não tem que suportar a desinformação”.

Os conteúdos serão compartilhados com o “carimbo” #FakeNewsNão, campanha que teve início no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e abrange compartilhamento de posts, vídeos, textos e artes com esclarecimentos sobre os danos provocados por dados falsos.


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »