AGU obtém condenação de envolvidos em desvios em exames de renovação de CNH

Imprimir: AGU obtém condenação de envolvidos em desvios em exames de renovação de CNH Compartilhamento: AGU obtém condenação de envolvidos em desvios em exames de renovação de CNH AGU obtém condenação de envolvidos em desvios em exames de renovação de CNH AGU obtém condenação de envolvidos em desvios em exames de renovação de CNH AGU obtém condenação de envolvidos em desvios em exames de renovação de CNH
Publicado : 13/03/2019 - Atualizado às : 13:21:40

Imagem: Ascom/AGU
Imagem: Ascom/AGU

A Advocacia-Geral da União, em atuação conjunta com o Ministério Público Federal e o estado do Rio Grande do Sul, obteve a condenação de dez empresas e 42 pessoas envolvidas no desvio de verbas para a expedição da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no estado. Os autores das irregularidades foram condenados pela 3ª Vara Federal de Santa Maria (RS) em duas ações de improbidade administrativa a devolver, juntos, R$ 148 milhões aos cofres públicos.

Os desvios aconteceram em contratos firmados entre o Departamento de Trânsito (Detran) do estado e duas fundações ligadas à Universidade Federal de Santa Maria - a Fundação de Apoio à Tecnologia e à Ciência (Fatec) e a Fundação Educacional e Cultural para o Desenvolvimento e Aperfeiçoamento da Educação e da Cultura (Fundae). Pelo esquema, que desviava recursos nos exames teóricos e práticos na expedição da CNH, o Detran contratava as fundações que, por sua vez, contratavam outras empresas para realizarem parcialmente os exames.

A AGU, por meio da Procuradoria Seccional Federal em Santa Maria (RS), representou a UFSM nas duas ações de improbidade. Além de multa, os servidores das fundações vinculadas à UFSM que participaram do esquema foram condenados à perda da função pública e a cassação dos direitos políticos por oito anos.

Operação

As irregularidades foram originalmente constatadas na Rodin, operação deflagrada pela Polícia Federal em 2007 que desmontou o esquema que gerou prejuízo financeiro ao erário e enriquecimento ilícito dos envolvidos entre 2003 e 2007.

Na esfera criminal, 18 pessoas já foram condenadas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região pelos atos.

Referência: Processos nº 50096132420124047102 e nº 50096029220124047102 – Justiça Federal de Santa Maria (RS).

Tchérena Guimarães


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »