AGU obtém condenação de advogado por tentativa de fraude ao INSS em RO

Imprimir: AGU obtém condenação de advogado por tentativa de fraude ao INSS em RO Compartilhamento: AGU obtém condenação de advogado por tentativa de fraude ao INSS em RO AGU obtém condenação de advogado por tentativa de fraude ao INSS em RO AGU obtém condenação de advogado por tentativa de fraude ao INSS em RO AGU obtém condenação de advogado por tentativa de fraude ao INSS em RO
Publicado : 10/05/2018 - Atualizado às : 16:40:07

Arte: Wesley Mcallister
Arte: Wesley Mcallister

A Advocacia-Geral da União (AGU) obteve na Justiça a condenação de um advogado ao pagamento de multa de R$ 4,7 mil por litigância de má-fé pela tentativa de receber em duplicidade pagamento do INSS para uma pensionista de São Francisco do Guaporé, em Rondônia.

A tentativa de fraude foi descoberta quando o INSS se preparava para pagar retroativos a título de pensão por morte e honorários de sucumbência à pensionista, cumprindo determinação de uma sentença judicial.   

No decorrer do processo, no entanto, o juiz da Comarca de São Francisco do Guaporé, a 600 quilômetros da capital Porto Velho, constatou que havia uma segunda sentença determinando o pagamento dos mesmos retroativos à pensionista, movida por outro advogado.

A Procuradoria Federal junto ao INSS, unidade da AGU, apresentou manifestação ressaltando a tentativa de má-fé diante da dupla cobrança de única condenação, o que resultaria no “dispêndio de valores em dobro dos cofres públicos”.

O procurador federal Nick Simonek Maluf Cavalcante, responsável pelo processo, requereu ao juiz a condenação, a apuração de eventual crime contra a administração da Justiça e investigação quando à conduta do advogado.

Ao acolher o pedido da AGU, o juiz considerou que o comportamento do advogado violou o princípio da boa-fé processual, previsto no artigo 5º do Código de Processo Civil (CPC), ao deixar de informar a existência de outra sentença.

Segundo o procurador federal Nick Simonek, decisões judiciais assim evitam prejuízos aos cofres públicos e têm “caráter educativo” ao aplicar multa por quem tenta violar o princípio da boa-fé processual.  

A Procuradoria Federal junto ao INSS é unidade da Procuradoria-Geral Federal (PGF), órgão da AGU.

Ref.: Processos nº 7000158-19.2016.8.22.0023 e 700591-86.2017.8.22.0023 – SJRO

Marco Antinossi


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »