Modernização, economia e acessibilidade marcam gestão da AGU em 2017

Imprimir: Modernização, economia e acessibilidade marcam gestão da AGU em 2017 Compartilhamento: Modernização, economia e acessibilidade marcam gestão da AGU em 2017 Modernização, economia e acessibilidade marcam gestão da AGU em 2017 Modernização, economia e acessibilidade marcam gestão da AGU em 2017 Modernização, economia e acessibilidade marcam gestão da AGU em 2017
Publicado : 13/03/2018 - Atualizado às : 16:24:57

Imagem: freepik.com
Imagem: freepik.com

O Panorama da Advocacia-Geral da União (AGU) de 2017 – publicação que reúne os principais resultados obtidos pela instituição no ano – revela que a atuação no período foi marcada não só pelo êxito nos tribunais ou pelo fornecimento do melhor assessoramento jurídico para os gestores públicos. Foi, também, um ano em que a AGU redobrou esforços para modernizar sua gestão e oferecer as melhores condições de trabalho possíveis para seus mais de 11 mil colaboradores (entre advogados públicos, servidores e estagiários) espalhados por 249 unidades localizadas em 121 municípios brasileiros.

A Secretaria-Geral de Administração da AGU conseguiu por meio de renegociações contratuais, por exemplo, reduzir os valores gastos pela instituição com a locação de imóveis, serviços de tecnologia da informação e de limpeza. A medida foi acompanhada por melhorias nas instalações de diversas unidades físicas da AGU, uma antiga reivindicação de muitos membros e servidores. Bem como pela compra de 4.825 computadores, 500 notebooks e 197 scanners profissionais novos – a maior aquisição de equipamentos do órgão nos últimos sete anos.

As melhorias e aquisições caminharam lado a lado com a adoção de novos métodos que têm como objetivo aprimorar a gestão. “Diversas melhorias nos processos internos de trabalho foram feitas, com o aprimoramento da qualidade dos gastos públicos, investimentos e diretrizes institucionais. A otimização dos processos de trabalho, além de promover agilidade e redução de mão de obra empregada nas atividades, também gerou economia ou recuperação de recursos”, destaca a secretária-geral de Administração da AGU, Maria Aparecida Araújo de Siqueira.

Integração

Uma das medidas estratégicas de gestão adotadas em 2017 foi a criação do projeto-piloto “AGU Sinergia”, que tem como objetivo ampliar a integração entre as unidades regionais da Advocacia-Geral, estimulando o intercâmbio de conhecimento e experiências e promovendo o alinhamento de diretrizes na defesa dos interesses do Estado.

Na fase inicial do projeto, entre agosto e dezembro de 2017, foram realizadas reuniões mensais com os dirigentes regionais em cada uma das cinco regiões da Justiça em que a AGU atua. Nelas, foram discutidas as principais atuações estratégicas da instituição, com o compartilhamento de informações relevantes e experiências de sucesso de cada órgão.

O AGU Sinergia prevê, ainda, o aperfeiçoamento do funcionamento da Ouvidoria nos órgãos regionais, bem como a criação de unidades regionais de comunicação nas capitais em que estão sediadas as regiões da Justiça Federal para apoiar as atividades de divulgação institucional.

Inclusão

A AGU também deu um passo importante para fornecer melhores condições de trabalho aos colaboradores com alguma deficiência com a assinatura de duas portarias que criaram o programa de acessibilidade no âmbito da instituição. As normas estabeleceram objetivos e diretrizes para a formulação da política de acessibilidade, bem como criaram grupo de trabalho que será responsável pela implantação das iniciativas concretas.

Ao longo do ano, a SGA também promoveu diversas campanhas relacionadas à saúde e ao bem-estar dos colaboradores, realizando ações durante o Abril Verde (segurança no trabalho), Maio Amarelo (conscientização no trânsito), Outubro Rosa (prevenção do câncer de mama) e Novembro Azul (conscientização sobre o câncer de próstata).

As iniciativas de aperfeiçoamento da gestão incluem, ainda: a inscrição em dívida ativa de  mais de R$ 1 milhão recebidos indevidamente por servidores ativos ou inativos; a otimização e controle de trechos de malote subutilizados ou não utilizados; a implantação do sistema E-Carta, que agilizou a entrega de correspondências com um sistema mais prático e menos oneroso; o desenvolvimento de instrumentos gerenciais de suporte aos servidores que atuam na fiscalização de contratos; a aquisição de novas identidades funcionais para membros e servidores da AGU; e a contratação de licenças de novas ferramentas de business intelligence e de gestão, auxiliando na tomada de decisões e desenvolvimento da gestão da AGU.


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »