CGDI: Saneamento documental

Imprimir: CGDI: Saneamento documental Compartilhamento: CGDI: Saneamento documental CGDI: Saneamento documental CGDI: Saneamento documental CGDI: Saneamento documental
Publicado : 14/12/2017 - Alterado : 26/12/2017

Com o propósito de promover e disseminar políticas e práticas socioambientais no âmbito da AGU, um dos objetivos estratégicos da SGA, a Coordenação-Geral de Gestão, Documentação e Informação (CGDI) esteve na Procuradoria Federal no Estado do Pará com a finalidade de orientar os trabalhos de saneamento documental do arquivo daquela PF/PA.

Em 16 de outubro de 2017, a Procuradora-Chefe da PF/PA, Dra. Carolina Bastos Lima Paes, declarou iniciados os trabalhos instalando a Subcomissão Permanente de Avaliação de Documentos, mediante leitura da Ordem de Serviço. Em seguida, a CGDI fez uma apresentação para os Membros da Subcomissão, orientando-os tecnicamente sobre a melhor forma de desenvolver, de forma contínua, os trabalhos de saneamento documental da PF/PA.

Ademais, os Servidores da CGDI, em parceria com os membros da Subcad (Subcomissão Permanente de Avaliação de Documentos) da PF/PA, iniciaram os trabalhos práticos de saneamento do arquivo da PF/PA, procedendo  a avaliação arquivística dos processos, um a um, ao passo que os membros da Subcad aprendiam como desempenhar a atividade para que pudessem exercê-la de forma autônoma a partir de então.

Realizada a verificação e separação dos documentos pela Subcad e pelos colaboradores, a Cooperativa de Trabalho dos Profissionais do Aurá (catadores de materiais recicláveis) retirou os papéis das dependências do arquivo da PF/PA. Foram preservados 4 (quatro) metros lineares, correspondentes a 29 (vinte e nove) caixas de arquivo, com dossiês relativos a gratificações e a reajustes salariais, cujos NUPs foram listados e afixados nas lombadas das caixas.

Em 27 de outubro de 2017, os trabalhos foram encerrados, com a completa avaliação de todo o acervo documental da PF/PA e com a constatação de que os membros da Subcad estavam aptos a exercer a atividade de saneamento documental a partir de então, de forma autônoma, o que possibilitou o retorno dos Servidores da CGDI para Brasília.

 


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »