EAGU participa de debates sobre os 25 anos da Lei de Improbidade Administrativa

Imprimir: EAGU participa de debates sobre os 25 anos da Lei de Improbidade Administrativa Compartilhamento: EAGU participa de debates sobre os 25 anos da Lei de Improbidade Administrativa EAGU participa de debates sobre os 25 anos da Lei de Improbidade Administrativa EAGU participa de debates sobre os 25 anos da Lei de Improbidade Administrativa EAGU participa de debates sobre os 25 anos da Lei de Improbidade Administrativa
Publicado : 21/08/2017 - Alterado : 29/08/2017

No dia 18 de agosto, a Escola da Advocacia-Geral da União participou de mais um debate organizado pela OAB/RJ, o Programa de Pós-Graduação da UERJ e a Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro.


Realizado na sede da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil do Município de Niterói, sob coordenação da Comissão OAB Jovem, presidida por Paloma Magalhães Arnt, da desembargadora do TJ-RJ Dra. Inês da Trindade, e da advogada e doutoranda da UERJ Thais Marçal, o evento teve como expositores, no painel das 9h às 10h30, os procuradores do Estado do Rio  e ex-assessores do STF: Dr. Felipe Fonte, que falou sobre “Improbidade administrativa e Direito Financeiro”, Dr. Rodrigo Zambão, que enfocou “Improbidade, controle da administração e inovação na gestão pública”, e Dr. Thiago Cardoso Araújo, com o tema “Improbidade administrativa e empresas estatais: levando a natureza societário a sério”.


No painel de encerramento, das 10h30 às 13h, os expositores foram: o Dr. Leonardo Vizeu, Procurador Federal e Diretor regional da Escola da Advocacia-Geral da União na 2ª Região (Rio de Janeiro e Espírito Santo), que abordou “Aspectos teleológicos da improbidade administrativa”, o  Dr. José Ricardo Pereira Lira, advogado, presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-RJ e membro do IAB, que falou sobre “Acordo de leniência, lei anticorrupção e improbidade”, e o procurador-geral do Estado, Maurício Mota, que encerrou com “A interpretação do artigo 11 da Lei de Improbidade Administrativa: construindo o devido processo legal”.
“Foi uma honra e um privilégio participar de um evento com expositores tão qualificados, representando, ainda, a Advocacia-Geral da União” – complementou o Diretor da EAGU2, Leonardo Vizeu.

A plateia foi composta de advogados, membros da comunidade jurídica e estudantes em geral, não só os de direito.
Estudante de física da Universidade Federal Fluminense, a acadêmica Maria Eduarda Costa Tavares, participou dos debates: “Acho muito bom eventos como esse, ainda mais nos dias atuais. A OAB, a PGERJ e a AGU deveriam promover mais seminários desse nível para esclarecimento da população em geral”. – disse a jovem estudante.


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »