Projeto da PGF é aprovado na primeira etapa do Concurso Inovação no Setor Público

Imprimir: Projeto da PGF é aprovado na primeira etapa do Concurso Inovação no Setor Público Compartilhamento: Projeto da PGF é aprovado na primeira etapa do Concurso Inovação no Setor Público Projeto da PGF é aprovado na primeira etapa do Concurso Inovação no Setor Público Projeto da PGF é aprovado na primeira etapa do Concurso Inovação no Setor Público Projeto da PGF é aprovado na primeira etapa do Concurso Inovação no Setor Público
Publicado : 15/03/2017 - Alterado : 22/03/2017

O Projeto “Equipes de Trabalho Remoto em Benefícios por Incapacidade”, inscrito pela Procuradoria-Geral Federal (PGF) na 21ª Edição do Concurso Inovação no Setor Público, foi aprovado na primeira Etapa de Triagem de Conformidade como iniciativa inovadora válida de Processos Organizacionais no Poder Executivo Federal. O concurso é promovido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). 

Nesta edição, no geral, há a possibilidade de inscrições em três categorias: duas para as instituições do Poder Executivo Federal, nas modalidades Processos ou Políticas e Serviços; e uma para os poderes Executivos Estaduais e Distrital, na modalidade Inovação em Processos Organizacionais, Serviços ou Políticas Públicas. A participação de iniciativas das esferas estaduais foi uma novidade e contou com 13 das 27 unidades da federação.

O processo seletivo do concurso será realizado em três etapas, com divulgação da avaliação final em 29 de setembro. A previsão da cerimônia de premiação é para até 31 de outubro.  

As Equipes de Trabalho Remoto em Benefícios por Incapacidade celebram acordos para pagamento de benefícios de auxílio-doença, auxílio-acidente e aposentadoria por invalidez. Inicialmente, o projeto alcançou quatro estados: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Paraná (PR) e Pernambuco (PE). Com o sucesso do trabalho, a AGU ampliou a atuação para 14 estados.

“Com as equipes de trabalho remoto, nós rompemos alguns paradigmas da organização não só da PGF, mas das funções essenciais à Justiça de forma geral. Elas aproveitam o que a AGU tem de melhor, a qualidade dos procuradores federais, a competência técnica e o conhecimento, sem a fronteira habitual do território”, ressaltou José Eduardo Vargas, coordenador-geral de projetos e assuntos estratégicos.  

As ETR-BI já foram premiadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no prêmio “Conciliar é Legal”. A iniciativa da Procuradoria-Regional Federal da 4ª Região (PRF4) para reduzir a litigiosidade em processos previdenciários ganhou a sétima edição do prêmio na categoria “Justiça Federal”.

Para conhecer mais sobre as ETR-BI, visite a Página da PGF, em “Projetos e Assuntos Estratégicos”.

Assessoria de Comunicação


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »