Manual de Boas Práticas Consultivas ganha 14 novas orientações

Imprimir: Manual de Boas Práticas Consultivas ganha 14 novas orientações Compartilhamento: Manual de Boas Práticas Consultivas ganha 14 novas orientações Manual de Boas Práticas Consultivas ganha 14 novas orientações Manual de Boas Práticas Consultivas ganha 14 novas orientações Manual de Boas Práticas Consultivas ganha 14 novas orientações
Publicado : 09/12/2016 - Atualizado às : 10:23:55

A Advocacia-Geral da União (AGU) lançou, na sexta-feira (02), a quarta edição do “Manual de Boas Práticas Consultivas”, em Brasília/DF. O guia, que apresenta 14 novas orientações, surgiu de observações de práticas consultivas que geraram bons resultados para a administração pública. O objetivo é reproduzir esses procedimentos em todo o setor público.

A obra possui orientações para o exercício da atividade consultiva e para o relacionamento entre consultores e assessorados. Ao todo são cerca de 50 instruções editadas em parceria entre a Consultoria-Geral da União (CGU), a Corregedoria-Geral da Advocacia da União (CGAU), a Procuradoria-Geral Federal (PGF), a Procuradoria-Geral da União (PGU), a Procuradoria-Geral do Banco Central (PGBC) e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). A nova versão tem como foco a gestão e eficiência. Além de estimular o uso de estatísticas e outras ferramentas que contribuem para aperfeiçoar o trabalho consultivo.

Durante o evento de lançamento, o advogado-geral da União substituto, Paulo Gustavo Medeiros, ressaltou que o manual ajudará na eficiência, segurança e celeridade no assessoramento jurídico e nas atividades exercidas pelas unidades. “O guia permite a padronização das boas práticas por todas os órgãos da Advocacia-Geral, tornando um procedimento institucional”, explicou.

A frente da organização do arquivo, a diretora do Departamento de Informações Jurídico Estratégicas, Sávia Maria Rodrigues explicou que a diferença desta edição para as anteriores é o aperfeiçoamento das dicas para torná-las mais objetivas e claras para facilitar a compreensão do usuário.  “O manual ganhou mais objetividade e em cada edição, a gente revisa e amplia o conteúdo. Nesta, são 49 dicas de boas práticas”, disse.

O consultor-geral da União, Marcelo Augusto, esclareceu as relações da obra com a linha de produção da manifestação jurídica e com a geração de segurança jurídica. “O conceito de boas práticas veio da ciência da administração. Esse quadro envolve um conceito de eficiência e estabelece padrões mínimos que influenciam nos trabalhos da instituição” concluiu.

A cerimônia de lançamento contou, ainda, com a participação do corregedor-Geral da Advocacia da União, Altair de Lima; do diretor da Escola da AGU, Grégore Moreira; do procurador-Geral adjunto do Banco Central, Marcel Mascarenhas; do subprocurador-Geral Federal, Gabriel de Mello; do subprocurador-Geral da União, José Roberto da Cunha Peixoto e da chefe Substituta de Divisão de Assuntos Estratégicos, Rosa Emanuela. Além de servidores e colaboradores da instituição em Brasília. Confira abaixo, o que foi dito durante o evento.

 

“O guia é um instrumento que se encaixa como uma luva nas atividades da corregedoria, consultivas e contenciosas” – Corregedor-Geral da Advocacia da União, Altair de Lima.

“O manual demonstra a união entre as unidades. Será de grande importância nos meios da advocacia-pública” - Diretor da Escola da AGU, Grégore Moreira.

 “O Manual de Boas Práticas Consultivas colabora diretamente com a uniformidade e serve para efeito de orientação e agilidade nos trabalhos das unidades, simplificando-as. Com o manual, podemos pensar melhor para resolver problemas na administração pública” - Procurador-Geral Adjunto do Banco Central, Marcel Mascarenhas

 “Nós temos uma missão institucional e isso é fundamental. A AGU precisa ter uniformidade e perspectiva na atuação. Com a ajuda do manual, teremos auto visão do que é e o que fazer no assessoramento jurídico.  A iniciativa contribui de um modo decisivo na advocacia-pública” - Subprocurador-Geral Federal, Gabriel de Mello  

“Um manual que auxilia os cainhos jurídicos é fundamental em um órgão” - Subprocurador-Geral da União, José Roberto da Cunha Peixoto

“Estamos caminhando no sentido de compartilhamento de informação, buscando a uniformidade e simplificação dos procedimentos e atender à necessidade de todos com eficiência” - Chefe Substituta de Divisão de Assuntos Estratégicos, Rosa Emanuela

Assessoria de Comunicação 


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »