Grace entrega ao chefe da Casa Civil anteprojeto que cria carreira de apoio da AGU

Imprimir: Grace entrega ao chefe da Casa Civil anteprojeto que cria carreira de apoio da AGU Compartilhamento: Grace entrega ao chefe da Casa Civil anteprojeto que cria carreira de apoio da AGU Grace entrega ao chefe da Casa Civil anteprojeto que cria carreira de apoio da AGU Grace entrega ao chefe da Casa Civil anteprojeto que cria carreira de apoio da AGU Grace entrega ao chefe da Casa Civil anteprojeto que cria carreira de apoio da AGU
Publicado : 11/10/2016 - Alterado : 24/10/2016

Foto: Renato Menezes/AscomAGU
Foto: Renato Menezes/AscomAGU

A advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça, entregou nesta terça-feira (11/10) ao ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, uma cópia de anteprojeto de lei que cria as carreiras de apoio da Advocacia-Geral da União (AGU).

“A AGU foi constituída com servidores cedidos e requisitados que já estão na instituição há muitos anos. A aprovação do projeto será um divisor de águas, pois essas pessoas precisam ter a sensação concreta de pertencimento aos quadros da Advocacia-Geral da União. Hoje eles não têm isso”, observou Grace.

Durante o encontro, que aconteceu na sede da AGU em Brasília, a advogada-geral destacou que o plano de carreira foi uma das primeiras preocupações dela ao assumir a instituição. “Todos nós sabemos que a atuação na nossa área fim, cada ação, petição, processo, não se concretiza sem o apoio dos nossos servidores. Nós valorizamos o trabalho deles, isso é indiscutível”, completou.

A proposta

O texto entregue ao chefe da Casa Civil não gera qualquer impacto orçamentário ou financeiro para os cofres públicos. Ele prevê a criação de duas carreiras novas: analista técnico de apoio à atividade jurídica, de nível superior; e técnico de apoio à atividade jurídica, de nível intermediário.

Os atuais servidores que puderem ser enquadrados em uma delas passarão a integrá-las, mantidas as atribuições. Nos casos em que não for possível, eles também serão vinculados ao novo plano de carreira da instituição, mas em cargos de nível superior, intermediário e auxiliar do quadro de pessoal da AGU, preservadas as denominações.

De acordo com o anteprojeto, serão dois mil cargos de analista de apoio e outros mil de técnico de apoio. O preenchimento deles, no entanto, será gradual e dependerá da extinção de cargos existentes que ficarem vagos.

A proposta prevê, ainda, a criação da Gratificação de Desempenho de Atividades Técnicas e Administrativas da AGU (GDAGU).

Assessoria de Comunicação


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »