Eleitos os primeiros integrantes do Conselho Curador dos Honorários Advocatícios

Imprimir: Eleitos os primeiros integrantes do Conselho Curador dos Honorários Advocatícios Compartilhamento: Eleitos os primeiros integrantes do Conselho Curador dos Honorários Advocatícios Eleitos os primeiros integrantes do Conselho Curador dos Honorários Advocatícios Eleitos os primeiros integrantes do Conselho Curador dos Honorários Advocatícios Eleitos os primeiros integrantes do Conselho Curador dos Honorários Advocatícios
Publicado : 01/09/2016 - Atualizado às : 15:40:42

Cristano de Oliveira Lopes (PGBC), André Luiz Mendonça (CGAU), Paulo Kuhn (SGCS), Valéria Saques (adjunta) e Paulo Gustavo (CGU) anunciaram o resultado. Foto: Leonardo Arruda/AscomAGU
Cristano de Oliveira Lopes (PGBC), André Luiz Mendonça (CGAU), Paulo Kuhn (SGCS), Valéria Saques (adjunta) e Paulo Gustavo (CGU) anunciaram o resultado. Foto: Leonardo Arruda/AscomAGU

Os representantes do Conselho Curador dos Honorários da Advocacia foram conhecidos nesta quarta-feira (31/8). O resultado da eleição para a primeira composição do colegiado contou com votos de 4.404 membros das carreiras jurídicas da Advocacia-Geral da União (AGU). A missão agora passa pela aprovação do estatuto próprio e deliberações quanto às normas e operacionalização do recebimento dos honorários de sucumbência.

A maioria dos advogados da União elegeu chapa composta por José Ricardo Britto Seixas Pereira Júnior, como titular da vaga, e Diogo Palau Flores dos Santos, na suplência, com 663 votos, de um total de 984.

A chapa mais votada entre procuradores da Fazenda Nacional é formada por Rogério Campos (titular) e Alfeu Gomes dos Santos (suplente), que receberam 449 dos 1.102 votos computados entre a categoria.

Para compor o Conselho também foram eleitas as chapas dos procuradores federais Fábio Munhoz (titular) e Rodrigo Saito Barreto (suplente), com 1.465 dos 2.223 votos, e dos procuradores do Banco Central Lademir Gomes da Rocha (titular) e Conceição Maria Leite Campos Silva (suplente), única a concorrer pela carreira e eleita com o total dos 95 votos válidos.

O presidente da Comissão Eleitoral Apuradora, Paulo Henrique Kuhn, secretário-geral de Consultoria da AGU, afirmou que o processo transcorreu com regularidade e dentro do cronograma. “A votação expressiva demonstra a preocupação dos colegas com relação ao tema e da necessidade de escolher bem as pessoas para compor o conselho, que tem atribuições de extrema importância no sentido de regulamentação interna e também com outros órgãos agentes”, avaliou.

Expectativas

O advogado da União José Ricardo Britto Seixas destaca que o novo Código de Processo Civil reconheceu o direito dos membros das carreiras jurídicas da AGU de receber os honorários.

“A expectativa é de um ambiente de trabalho de harmonia e focado nas atribuições do conselho. Outras questões associativas que são de dissenso não devem entrar nessa discussão. O conselho tem que ser técnico, objetivo e racional, buscando o bem comum de todos, no que está estabelecido na lei”, pondera.

O procurador federal Fábio Munhoz indica que a primeira formação do Conselho será a mais importante por definir os parâmetros e balizas com relação ao recebimento dos honorários sucumbenciais.

“Espero que as experiências de todos os membros sejam válidas para a discussão das bases que serão formadas para a percepção dos nossos honorários e encargos legais e espero sinceramente que as bases sejam as melhores possíveis, que nós consigamos chegar ao consenso e que nós possamos trabalhar em harmonia”, ressalta.

Regulamentação

A Lei 13.327/2016 regulamentou o pagamento de honorários de sucumbência para as carreiras jurídicas da AGU. O valor é estabelecido pelo Judiciário e deve ser pago pela parte que perde o processo judicial contra União, autarquias e fundações públicas federais.

Previsto na nova lei, o Conselho Curador dos Honorários Advocatícios tem entre as atribuições editar normas para operacionalização da distribuição dos valores arrecadados, obrigação fiscalizatória, acompanhar a regularidade do pagamento do crédito e o poder de solicitar informações aos órgãos da administração pública federal sobre os honorários.

Wilton Castro


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »