Procuradoria recupera R$ 6,1 milhões para os cofres públicos em apenas três meses

Imprimir: Procuradoria recupera R$ 6,1 milhões para os cofres públicos em apenas três meses Compartilhamento: Procuradoria recupera R$ 6,1 milhões para os cofres públicos em apenas três meses Procuradoria recupera R$ 6,1 milhões para os cofres públicos em apenas três meses Procuradoria recupera R$ 6,1 milhões para os cofres públicos em apenas três meses Procuradoria recupera R$ 6,1 milhões para os cofres públicos em apenas três meses
Publicado : 05/04/2016 - Alterado : 06/04/2016

Foto: vidaedinheiro.gov.br
Foto: vidaedinheiro.gov.br
A Advocacia-Geral da União (AGU) em Curitiba (PR) conseguiu recuperar R$ 6,1 milhões para os cofres públicos no primeiro trimestre de 2016. Os valores foram devolvidos por autores de irregularidades após atuação da Procuradoria da União no Paraná (PU/PR) em 28 processos judiciais e extrajudiciais.

Os alvos das ações foram agentes públicos condenados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e responsáveis pelo uso irregular de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), desvio de verba de programas de inclusão digital e fraudes em eleições municipais, entre outros ilícitos.

O caso de maior valor, contudo, envolveu um ex-dono de imóvel desapropriado obrigado a ressarcir em R$ 5,1 milhões os cofres públicos por ter recebido em 1987, época em que o ato foi realizado, valor muito superior ao que era efetivamente devido.

"O resultado é fruto da especialização de uma equipe dedicada ao trabalho de recuperação de ativos, que vem atuando de forma exclusiva neste sentido há cerca de sete anos", explica o advogado da União Vitor Pierantoni Campos, do Grupo de Atuação Proativa da PU/PR.

A expectativa da procuradoria é de que valores ainda mais elevados sejam recuperados ao longo do ano, já que em 2015 a unidade da AGU assinou acordos que preveem o ressarcimento de R$ 9,4 milhões ao longo de 2016. Além disso, somente no ano passado foram ajuizadas 65 ações pedindo a devolução de cerca de R$ 500 milhões aos cofres públicos.

Raphael Bruno
 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »